Temos uma oportunidade única de investigar todas as maracutaias
envolvendo as obras do Porto Maravilha. Pressione pela CPI!

AÇÃO URGENTE: PRESSÃO NO PSDB!


A conta é simples: faltam 3 assinaturas e o partido tem 3 vereadores. Eles podem tirar a CPI do papel.

Amanhã, dia 28 de abril, a Executiva Municipal do PSDB vai se reunir para discutir o papel do partido na cidade. Até agora, nenhum dos 3 vereadores tucanos do Rio (Alexandre Arraes, Felipe Michel e Prof Adalmir) assinou a CPI do Porto do Maravilha.

Precisamos aproveitar a reunião interna do partido para mostrar que a postura dos vereadores até o momento coloca em risco a imagem do partido como um todo. Quem não assina a CPI é quem não quer que a corrupção no Porto seja investigada...

Vamos lotar a caixa da Executiva do PSDB de mensagens exigindo um posicionamento claro do partido contra a corrupção.

Se a bancada tucana do Rio assinar, a CPI sai do papel!



Envie sua mensagem ao PSDB carioca

Quem você vai pressionar (8 alvos)
    Como funciona?
    1. Estamos ligando para o seu alvo
    2. Assim que alguém atender do lado de lá, vamos te ligar
    3. Quando você atender, conectamos as ligações
    4. Agora é com você!

    0
    pressões feitas hoje







    1.
    O Porto Maravilha é um projeto de revitalização urbana que abrange uma área de 5 milhões de metros quadrados e 6 bairros da cidade.






    2.
    Para a gestão do projeto, a Prefeitura criou a Companhia de Desenvolvimento Urbano da Região do Porto (CDURP) através da Lei Complementar 102/2011.






    3.
    Como gestora da área, a CDURP faz a articulação entre a Prefeitura e a Concessionária Porto Novo, formada pelas empreiteiras Odebrecht, Carioca Engenharia e OAS, todas envolvidas na Operação Lava Jato.










    1.
    Investigar o pagamento de R$ 52 milhões em propina a Eduardo Cunha para a liberação de recursos provenientes do FGTS para o financiamento das obras do Porto.

    2.
    Investigar a falta de transparência da CDURP no gastos de milhões de reais como pagamento de pessoal, fornecedores, convênios, etc. Nos relatórios trimestrais, aparece apenas o valor global.

    3.
    Investigar a venda, por valor bem menor que o de mercado, de vários terrenos públicos vendidos para o Fundo de Investimento Imobiliário Porto Maravilha (FIIPM).










    4.
    Investigar o descumprimento da Lei Federal 11.124/2005, que determina utilização prioritária de terrenos públicos para a construção de habitação de interesse social.


    5.
    Investigar o descumprimento da legislação ambiental vigente, que determina a elaboração de Estudo de Impacto Ambiental (EIA) e Relatório de Impacto Ambiental (RIMA), ambos dispensados no Porto Maravilha.

    6.
    Investigar as alterações contratuais ilegais por parte dos aditivos, que mudaram significativamente o objeto e os elementos de interesse social do contrato.












    Uma Comissão Parlamentar de Inquérito pode auxiliar e aprofundar a investigação do Ministério Público e da Polícia Civil, levantando novas provas e argumentos que levariam a um julgamento político. É um trabalho complementar, e não excludente!







    Uma CPI tem poder de investigação semelhante ao de autoridades judiciais. Pode ouvir testemunhas, obrigar secretários e outras autoridades a prestar depoimento, exigir quebras
    de sigilo fiscal e telefônico,
    entre outras atribuições.







    Um inquérito na Câmara de Vereadores garante que a vontade dos cidadãos esteja representada na investigação
    por meio dos parlamentares de
    diversos partidos.

    Fala com a gente!
    contato@meurio.org.br


    Acreditamos que a construção de uma cidade mais democrática, inclusiva e participativa passa pela garantia de uma administração pública 100% transparente.
    Se existem suspeitas de corrupção nos contratos do Porto Maravilha e se é uma prerrogativa dos vereadores fiscalizar a administração municipal, é fundamental que essas investigações aconteçam.